ETFInvestir melhor

Porque não invisto em ETFs

Deixar as nossas poupanças debaixo do colchão não nos vai ajudar a ficar ricos, muito pelo contrário. Também colocar o nosso dinheiro no banco num depósito a prazo, não será o melhor caminho, principalmente nos dias de hoje, em que as taxas de juro estão em níveis historicamente baixos, e inferiores à taxa de inflação, o que no final representa uma perda de valor real para o nosso dinheiro.

Fico muitas vezes espantada com a quantidade de recomendações que encontro sobre o investimento em ETFs, sendo que algumas das recomendações vêm de investidores muito bem-sucedidos, e que não investem neste tipo de instrumentos (ou investem uma pequeníssima parte), como é o caso do Warren Buffett e de Ray Dalio. Pergunto-me por que razão ficou tão popular este instrumento? Será a única forma de investir de forma rentável nos mercados financeiros nos dias de hoje? Será que as pessoas compreendem onde estão a colocar o seu dinheiro? Será que não se importam de colocar o seu dinheiro em empresas com más práticas de mercado, que não protegem o nosso planeta, muito menos as comunidades onde estão inseridas? Será que comprar cegamente um ETF, que representa centenas de empresas, é a forma mais correta de investirmos o nosso dinheiro?

 

Se quiser saber mais sobre ETFs recomendo que leia este artigo: O que é um ETF?

 

Obviamente não existe uma forma correta (ou errada) de se olhar para os ETFs, também não podemos colocar todos os ETFs no mesmo saco, pois bem sei que alguns têm politicas de seleção de investimentos que vão ao encontro da proteção do meio ambiente, e de outras causas sociais, e excluem empresas que possam não cumprir com esses requisitos.

Considero que cada um de nós deve refletir sobre o seu perfil de investidor, não apenas analisando a tolerância ao risco, mas também considerando a aplicação que será feita ao seu dinheiro.

Depois deste “discurso” introdutório, deve estar um pouco curioso(a) para perceber quais os motivos que me fazem excluir os ETFs da minha carteira de investimentos. Sem mais demoras, seguem os principais motivos.

 

1. Ter controlo sobre os meus investimentos

O primeiro motivo para eu não investir em ETFs, está relacionado com o facto de querer controlar os meus investimentos. Quando, por exemplo, investimos num ETF que replica o índice Americano S&P500, estamos a investir nas 500 maiores empresas dos Estados Unidos. Se eventualmente nessas 500 empresas existirem, algumas que não gostamos, ou simplesmente tivemos uma má experiência com os seus produtos/serviços, estaremos também a colocar o nosso dinheiro nelas.
Eu pessoalmente gosto de compreender onde aplico o meu dinheiro, e tenho preferência por algumas empresas/marcas em particular, e é nessas empresas que eu quero investir e ser remunerada por isso. Não quero receber dividendos de empresas ligadas ao tabaco, ao setor petrolífero, ou empresas que utilizem o marketing multinível para atingirem lucros exorbitantes oferecendo muito pouco valor ao mercado. A única forma que eu conheço de evitar investir nessas empresas e setores é investir em ações individuais.

 

2. Tenho tempo, curiosidade e paciência

Para mim investir no mercado financeiro, para além de representar uma fonte extra de rendimento, é também um hobbie, que aprecio bastante. Sou formada em Economia, e desde que me conheço que sempre adorei compreender a dinâmica do dinheiro, os vários modelos de negócios, e de inovação empresarial. Este é um universo que me fascina, e no qual posso passar horas e horas a estudar e a pesquisar, sem que isso represente um sacrifício.
Para investirmos em ações individuais, temos de gostar, e de compreender as empresas em que investimos, o que elas fazem, como ganham dinheiro, quais os seus desafios e perspetivas futuras. Se não tem curiosidade, paciência e tempo para aprender, será um pouco mais difícil conseguir os resultados que deseja para o retorno dos seus investimentos, optando por investir em ações individuais. Nestes casos os fundos de investimentos de gestão passiva (ETFs) poderão mesmo ser a melhor alternativa para aplicar o seu dinheiro.

 

3. Não sacrificar retornos por uma “aparente segurança”

Muitos investidores optam por alocar grande parte do seu capital em ETF’s porque consideram ser um investimento seguro. Na minha opinião, a segurança de um ETF é relativa, uma vez que investir de forma aleatória em centenas de empresas e em várias indústrias não me parece ser uma grande opção no que diz respeito à gestão de risco.
Existem muitas indústrias e áreas de negócios que podem ser, para nós, fáceis de compreender, como é o exemplo do retalho, restaurantes, empresas tecnológicas, hotéis, etc. Analisando as prestações de contas e alguns dos indicadores mais importantes, poderemos tomar decisões de investimento assertivas, escolhendo empresas de vários setores, para as quais já estamos um pouco familiarizados (porque já consumimos os seus produtos/serviços ou porque simplesmente gostamos da marca, da empresa ou do que ela representa).
Por exemplo, se não formos capazes de analisar uma empresa biotecnológica, nesse caso devemos evitar investir em empresas desse setor.

 

4. É possível diversificar os nossos investimentos selecionando ações individuais

Uma das grandes vantagens dos ETFs é o facto de proporcionar uma diversificação automática, para um montante baixo de investimento. Mas se estiver confortável em pesquisar ações individuais, de diferentes setores de atividade e geografias distintas, em pouco tempo conseguirá ter um portfólio diversificado, investindo apenas nas empresas que gosta e que quer ter na sua carteira de investimentos.
Como investidora, considero importante olharmos para os investimentos em ações como olhamos para um negócio próprio, investir como se fossemos donos dessas empresas.

 

Se quiser saber mais sobre diversificação recomendo o seguinte artigo: Como diversificar corretamente os investimentos

Conclusões:

Escrevi este artigo apenas como uma reflexão, e para mostrar o meu ponto de vista em relação ao investimento em ETFs. Isto não significa que não deve investir em EFTs, que é errado o fazer ou que eu não recomendo este tipo de ativos.
Se este é um instrumento financeiro que gosta, e que se sente confortável para colocar o seu dinheiro, está tudo bem. Afinal, existe milhões de investidores um pouco por todo o mundo, a investir o seu capital desta forma, e a apoiar as empresas e o desenvolvimento empresarial.
Os fundos de índice, de forma geral, são uma boa opção de investimento para quem pretende colocar o seu dinheiro a trabalhar para si, e não tem necessariamente a paciência e o tempo indispensável para pesquisar e acompanhar empresas. Também são uma boa opção para investidores moderadamente ou pouco tolerantes ao risco.

Gostava de saber a sua opinião. Investe em ETFs? Está satisfeito(a) com os retornos que obtém? Deixe a sua resposta nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *