Investir melhor

Como se preparar para investir – 6 passos fundamentais

Investir o nosso dinheiro é essencial para atingirmos a nossa liberdade financeira, ou simplesmente como forma de diversificar as nossas fontes de rendimento. Acredito que se está a ler este artigo, é porque já investe o seu dinheiro, ou está seriamente a ponderar começar a fazê-lo. Por essa razão, quero partilhar consigo 6 passos fundamentais para se preparar para investir.

Investir o nosso dinheiro é um tema muito sério, que nos pode trazer um acréscimo na nossa qualidade de vida, ou por outro lado, se não for bem feito, pode ter exatamente o efeito contrário, e deixar-nos na ruína.

Neste artigo, quero partilhar consigo alguns dos passos, que considero essenciais, para se preparar para investir.

 

“Em última análise, não é o mercado de ações nem mesmo as próprias empresas que determinam o destino do investidor. É o investidor.” – Peter Lynch

 

1 – Defina os seus objetivos de investimento

É importante definir quais os resultados que pretende alcançar através dos investimentos. Todos nós temos motivações diferentes, e investimos por razões distintas. Alguns investidores investem para terem uma reforma confortável, ou para comprar um carro novo daqui a 5 anos, outros investem para terem rendimentos passivos e um dia deixarem os seus empregos, há também quem invista, simplesmente para não ter o seu dinheiro parado. Existem muitos motivos que o poderão fazer querer investir o seu dinheiro, mas para entrar neste jogo e ganhar, é necessário adaptar a sua estratégia de investimento aos resultados que pretende alcançar.
Por exemplo, se pretende investir o seu dinheiro, para comprar um carro novo daqui a 5 anos, não deverá investir uma parte significativa da sua carteira em ações. Devido à elevada volatilidade deste tipo de ativos, aliado ao facto de estar a investir no médio prazo, deve privilegiar investimentos pouco voláteis e com prazos de maturidade curtos. A rentabilidade poderá não ser elevada, mas neste caso o mais importante é assegurar que daqui a 5 anos, o seu dinheiro estará disponível, para fazer fase ao objetivo que tinha em mente.
Se por outro lado, o seu objetivo é construir uma carteira de investimentos que lhe permita gerar rendimentos passivos de forma constante, poderá focar a sua estratégia em empresas que pagam bons dividendos, e têm bons fundamentos para enfrentar a incerteza do longo prazo.

 

Artigo Sugerido: Como Conquistar a sua Independência Financeira em Sete Passos

 

2 – Conheça as suas crenças e atitudes

Para termos sucesso nos investimentos, precisamos de compreender quais são as nossas crenças sobre dinheiro, sobre sucesso financeiro e sobre o funcionamento do próprio mercado de investimentos. Será que considera o investimento em ações muito arriscado? Como reagirá à volatilidade do mercado? Terá a capacidade e a atitude correta perante um momento de pânico nos mercados?
Antes de começar a investir é muito importante conhecer melhor as suas crenças e atitudes. Se for indeciso, e não tiver a capacidade mental para ver o valor dos seus investimentos oscilar diariamente, muito provavelmente será uma potencial vítima do mercado, que abandona a esperança e a sua estratégia no pior momento do mercado, e desfaz-se das suas posições com perdas significativas.
Muitas das nossas crenças e atitudes nos investimentos só são verdadeiramente reveladas quando estamos dentro do jogo, por esse motivo devemos começar a investir devagar, com pouco dinheiro, para compreendermos como nos sentimos perante uma adversidade, ou como lidamos quando estamos a ganhar um bom retorno.

 

3 – Tenha uma casa e um fundo de emergência

Todos nós sabemos que viver e trabalhar em Portugal não é fácil. Chegar ao final do mês com todas as contas pagas e algum dinheiro de sobra para poupar e investir, requer alguma habilidade.

Um dos passos essenciais para investir (e viver) com tranquilidade, é criar uma reserva de dinheiro suficiente para pagar todas as suas despesas essenciais, durante 6 a 12 meses. Esta reserva financeira é muito importante caso tenha o infortúnio de perder o seu emprego, caso surja uma despesa grande inesperada, ou simplesmente para poder ter o conforto de saber, que se algo correr menos bem, terá sempre algum tempo para voltar a equilibrar as suas finanças. A sua reserva de emergência, não deve ser investida nos mercados financeiros (dada a volatilidade e incerteza que carretaria), mas sim num depósito a prazo ou conta poupança, para que seja fácil e rápida a sua mobilização, sem estar sujeito a perda de capital.

Um outro tema muito importante é a nossa casa, e a capacidade de vermos satisfeita uma das necessidades mais básicas do ser humano: a Segurança. Termos uma casa e dinheiro para uma emergência dá-nos a paz de espírito necessária para aproveitarmos as oportunidades do mercado sem entrarmos em desespero. Não é fácil nos dias de hoje conseguirmos pagar a nossa casa em pouco tempo, no entanto, não é aconselhável investir o dinheiro que poderá ser necessário para cumprir com pagamento do empréstimo (ou das rendas) da sua habitação. Tenha sempre algum dinheiro destinado à sua habitação de forma a garantir que conseguirá cumprir com as suas obrigações. Novamente: “não invista o que não poderá perder”.

Ainda na temática da nossa habitação, é habitual conseguirmos fazer algum dinheiro através da valorização da nossa própria casa e perder a investir na bolsa de valores. Passamos meses a escolher a nossa casa, para garantir que fazemos um bom negócio, e apenas alguns minutos a escolher uma empresa para investir. Na verdade, não é difícil percebermos qual o motivo principal para que um grande número de pessoas não tenha uma boa experiência a investir o seu próprio dinheiro.

 

4 – O dinheiro que pensa investir irá fazer-lhe falta?

Inevitavelmente já abordámos este tópico algumas vezes ao longo deste artigo, no entanto, acredito que nunca é de mais relembrar a importância de apenas investirmos o que poderemos perder, sem que essa perda tenha um grande impacto no nosso dia-a-dia e futuro.

Muitas vezes e por vermos o nosso dinheiro a crescer, caímos na tentação de aumentar o valor dos nossos investimentos, aplicando dinheiro que estaria destinado a outros objetivos, sem termos muitas vezes a possibilidade de aguentarmos um período de recessão para mobilizarmos o nosso capital sem a necessidade de assumir perdas.

Os mercados de baixa (ou bear markets) poderão representar os melhores ou os piores momentos dos investidores, dependendo das decisões que tomar. Se tomar uma decisão errada, como muitas pessoas fizeram na última crise financeira em 2008 e 2009, um bear market poderá ser financeiramente catastrófico, fazendo com que o valor do seu património investido demore alguns anos (ou mesmo décadas) para recuperar.

Historicamente a cada 3-5 anos, ocorre um novo bear market. O passado não se repete tal e qual, no entanto, oferece uma boa perspetiva sobre o ritmo a que estes eventos podem ocorrer. Algo que temos como garantia é que os mercados de baixa (bear market) continuarão a ocorrer, independentemente da nossa vontade, por essa razão, não investa dinheiro que precisará nos próximos 3 a 5 anos.

 

Leia também: Quais os riscos de investir em ações

 

5 – Tem o perfil e características de personalidade para investir com sucesso?

 

Para investir com sucesso na bolsa de valores, não basta dominar as questões técnicas, é também muito importante ter controlo sobre as suas emoções.

Algumas das características de personalidade, que o vão ajudar a ter sucesso nos investimentos são: paciência, resiliência, senso comum, tolerância à dor, mente aberta a opiniões distintas das suas (procurar opiniões contrárias), persistência, humildade, flexibilidade, capacidade de realizar pesquisa por si próprio, ter opinião própria e capacidade de ignorar o pânico geral.

Estas são características de personalidade que considera ter? Se a resposta for não, é importante que as desenvolva através do estudo e da experimentação. Se, por exemplo, não tiver a capacidade emocional para ver o seu dinheiro oscilar diariamente, então comece por fazer um pequeno investimento (que não lhe tire o sono) e vá treinando as suas emoções, de forma a conseguir ficar indiferente às oscilações do mercado.

Faça o teste do “Sleeping Point”: sempre que um investimento lhe tira o sono, é sinal que deve diminuir a sua posição. Se tem dificuldades em adormecer, ou acorda a meio da noite, com receio do comportamento de um determinado investimento que fez, significa que não está confortável com a sua decisão, ou que o montante investido irá fazer muita diferença no seu portefólio de investimentos.

 

6 – Tenha Tempo, curiosidade e paciência

Para mim investir nos mercado financeiros, para além de representar uma fonte extra de rendimento, é também um hobbie, que aprecio bastante. Desde que me conheço que sempre adorei compreender a dinâmica do dinheiro, os vários modelos de negócios, e de inovação empresarial. Este é um universo que me fascina, e no qual posso passar horas a estudar e a pesquisar, sem que isso represente um sacrifício.

Para investirmos no mercado de ações individuais ou em ETFs, temos de gostar, e de compreender onde estamos a colocar o nosso dinheiro. Nunca invista em algo que não consegue compreender.

É importante tomar decisões de investimento fundamentadas, saber porque está a investir em determinado ativo, e quais são os resultados que espera alcançar com determinado investimento. Só assim, compreenderá se deve ou não manter o seu investimento em carteira, e se os resultados que está a obter com o investimento já foram alcançados.

Por exemplo, se comprar ações de uma empresa, porque a determinada altura considerava que as mesmas estavam muito desvalorizadas, e se, entretanto, o preço da ação já recuperou, e não antevê que a empresa crescerá nos próximos anos, a um ritmo interessante, então nesse caso, já não existem motivos para continuar com essa ação em carteira, deverá vender.

 

Conclusões

Ser um investidor de sucesso é uma jornada para a vida. Preparar as suas emoções é um passo fundamental, assim como criar os alicerces necessários para sustentarem o seu percurso, e conseguir beneficiar das oportunidades do mercado.

Este artigo reflete a minha jornada enquanto investidora, e os passos que foram necessários dar para ter os resultados que tanto ambiciono nos investimentos financeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *